You are currently browsing the category archive for the ‘responsabilidade’ category.

O "mundo" da Lua. Velha conhecida de sonhadores como eu.

O "mundo" da Lua. Velha conhecida dos sonhadores.

Porque será que é tão difícil me concentrar em algo ? Parece que há tantas coisas interessantes para se fazer e pensar, tantas coisas para descobrir, modificar… com tanto conhecimento no mundo, tudo é tão incrível e fascinante… isso faz com que eu tenha um problema de concentração.

Quando estou executando um trabalho… quando estou estudando… quando estou tentando entregar algo para alguém… é uma dificuldade imensa focar minha mente, corpo e espírito naquilo que estou fazendo. Essa concentração só acontece quando aquilo que devo fazer faz parte das coisas que gosto, que tenho interesse. Ou simplesmente das coisas que instigam minha imaginação, coisas que exercitam meu raciocinio, coisas que me desafiam… coisas que ainda não tem explicação.

Mas coisas cotidianas, corriqueiras, coisas que já fiz e tenho que fazer de novo… coisas que já são banais e que não acrescentam nada à minha “bagagem”, são coisas que geralmente demoro mais tempo para fazer. Mas, gostando ou não, as tarefas continuam lá para serem feitas, e portanto, lá vou eu dar continuidade à elas. Vou porque tenho necessidades a atender… ou seja, contas a pagar.

Mesmo assim, fico relutante. Tento adiá-las o máximo possível, tento fugir da responsabilidade, fazer outras coisas… embora eu saiba que depois ficarei com aquele peso na consciência de que estou atrasando algo importante para outra pessoa.

Acho que as coisas com as quais me comprometi não estão de acordo com a minha vontade. Ou talvez eu seja simplesmente preguiçoso e gazeteador… ou talvez sejam as duas coisas ao mesmo tempo.

Como fazer para que eu sinta um entusiasmo constante em fazer as coisas ? Tem coisas que eu faço que eu mesmo encontro motivos para executa-las. É um tremendo desafio se automotivar para algo que você não aprecia, que não te desafia, que não te chama pra perto, que não te convida para o mistério.

Anúncios

Como fazer para conseguir atenção de um público ?

Essa é uma pergunta que despertou recentemente em mim.

O que aconteceria se, de repente, algum zé-ninguém descobrisse algo incrível e/ou fantástico ? Esse alguém seria ouvido ? Alguém prestaria atenção ao que ele descobriu ?

Dificilmente. Por que alguém se importaria com um coitado qualquer, que mal tem dinheiro suficiente pra ter os gostos atendidos, que mal sabe falar em público, que só tem uma faculdade e um emprego mediano… quem se importaria ?

Chamariam essa pessoa de louca, de insana, ou simplesmente a ignorariam. Ou… no pior dos casos… a apedrejariam, a espancariam e a crucificariam… como fizeram com um certo cara há muito tempo atrás.

Adiantaria algum visionário falar algo fantástico, maravilhoso, que faria toda a diferença se todos praticassem aquilo que ele descobriu ?

….. (muitas reticências)

Somente alguns poucos dariam ouvidos. Somente alguns poucos entenderiam a mensagem, ou se dariam ao trabalho de ouvir tal pessoa.

O problema é que nem sempre a mensagem chega onde precisa.

Às vezes, tal mensagem seria extremamente necessária para certo grupo de pessoas ouvir. Essas pessoas estariam totalmente preparadas, prontas para recebe-la. Mas, devido a várias dificuldades e complicações, a mensagem não chega, ou se consegue chegar, é tarde demais. O momento certo já passou. Quem teve a idéia inicial não está mais presente… essa pessoa se foi.

Esse grupo de pessoas que recebeu a mensagem tardiamente passará por um dilema. Eles não saberão o que fazer com tal conhecimento, pois a fonte original do mesmo não existe mais. E então ?

É algo difícil de se fazer, mas é o que resta para eles: continuar a espalhar o conhecimento que aprenderam. Não rete-lo jamais, pois isso é o mesmo que matar esse conhecimento, privando as prováveis pessoas, que possuem a clareza espiritual, de reconhecerem o poder que tal mensagem encerra…

A Verdade não está concentrada em um único ponto. Ela está espalhada em todas as partes. Todas as partes são importantes, e elas juntas perfazem O Todo. Portanto, todas as pessoas, todos os dias, contribuem para a compreensão da Verdade, pouco a pouco. Todas as pequenas gotas de sabedoria que pingam dia-a-dia do cálice das pessoas são essenciais para o crescimento da felicidade no mundo.

Não desistirei de dizer o que penso acerca de todas as coisas. Não desistirei de tentar abrir os olhos das pessoas que estão dispostas a enxergar, e não fecharei meus olhos para aquilo que os outros quiserem me mostrar.

Rogo para que eu tenha a paciência, a humildade e a fé necessárias para manter essa minha Promessa que faço nesse momento, diante de todos aqueles que venham a ler este escrito.

Liberdade, hoje e sempre !

obs.: retirei esse texto de um outro blog meu, O Viajante Universal, que acabei fazendo outro dia quando deu pau na proxy para o wordpress aqui, e eu simplesmente precisava escrever em algum lugar o que tinha na cabeça.

Sempre entrei muito em contato com a filosofia de diversos autores. Sempre li muitos livros, sempre ouvi conselhos de diversas pessoas acerca dos mais variados assuntos. Mas só absorver e utilizar não basta. Não. É preciso fazer algo mais.

Isso me lembra O Gladiador.

Isso me lembra O Gladiador.

Seguir correntes de pensamento não é algo legal. Pelo menos não sem racionalização pessoal. Eu preciso pensar e decidir se o que estou lendo realmente faz sentido, se devo utilizar isso daqui em diante como sendo uma verdade, se isso realmente será bom para mim, enfim, se trará bons resultados.

Exemplos:

  1. “Não fale com a garota, não ligue pra ela. Agindo assim, ela virá atrás de vc, pq ela vai sentir sua falta.”
  2. “Ligue pra ela, mostre que gosta dela ! Esse é o jeito certo de agir, sempre fazendo o bem.”

Qual conselho seguir ? Nenhum dos dois ? Um pouco de um e um pouco do outro ?

Embora o relacionamento humano seja um dos grandes enigmas do universo, há ainda outros muito debatidos por aí:

  • Houve ou não houve Big Bang ?
  • Há vida extraterrestre ?
  • Jesus existiu ?
  • Há realmente um Deus que a tudo controla ?

Agora, pare. PENSE… e decida. “Pese” bem o que vc já leu, já presenciou, já sentiu, já experimentou. Faça isso com tudo o que você se deparar na vida. Não aceite as coisas de pronto, sem antes pensar bem se faz sentido pra você. Racionalize suas emoções. Emocione sua razão. Nem tudo é o que parece. Nada é simples, mas também, nada é complicado. Ninguém possui todas as respostas, mesmo porque não há como reunir todas as perguntas. Nós nem ao menos sabemos o que perguntar às vezes.

O que quero dizer é que não devemos nos deixar levar por ideologias, por filosofias e racionalizações de outros. Nós podemos e devemos ouvi-las, mas antes de as aceitar como verdade para uso próprio, devemos racionalizar em cima desses pensamentos externos. Somente dai estaremos colocando um pouco de nós mesmos nessas idéias, e estaremos sendo realmente NÓS MESMOS.

Outro ponto importante o qual se deve lembrar é que, assim que você se decide por algo, e tem certeza dessa decisão, não a mude por causa de opinião alheia. Não a mude de jeito nenhum ! Dê valor a si mesmo. Tenha a convicção de estar fazendo o melhor. Não seja volúvel, “maria-vai-com-as-outras”, senão você nunca terá força suficiente para tomar suas próprias decisões e ir até o fim com elas. Não importa se pais ou parentes não gostaram, se amigos vão te encher o saco ou qualquer outra merda desse tipo. Não troque de opinião, pois você é o resultado das suas decisões, e você não tem preço. Como já foi comentado em outro post, é um ser vivo único no Universo, raríssimo e insubstituível.

Sobre a questão do relacionamento; o que importa se vai perder a garota ? Que se dane isso. A vida está aí, explodindo de possibilidades, de mudanças, de pessoas ! Veja o que você realmente quer. Você a quer ? Tem vontade de ir atrás dela ? Vá. Você já está perdendo tempo. O mesmo vale para o contrário. Por que está correndo atrás dela, sendo que ela pouco se importa com você ? Você está se sentindo pior que um cachorro sem dono, ela não te dá valor, não tá nem ai ? Então, cara, cai fora. Ce ta pagando de idiota, ta sofrendo, quer ir embora, mas não quer desistir, não quer encarar a realidade de que ela já era. Não é mais sua.

Aí é que está. Encarar a realidade. Pouquíssimas pessoas tem o peito de fazer isso. De saber o momento de parar, de partir pra outra. Veja bem, não é desistir. É ir até o fim mesmo, ter certeza de que não há mais jeito, e somente daí mudar o caminho. É importante ser decidido, mas é igualmente importante ser flexível.

"Seja como o bambu, que entorta mas não quebra"

"Seja como o bambu, que entorta mas não quebra"

Perceba que “fazer o certo, o correto” depende do ponto de vista, e da situação a ser considerada. Tudo é muito subjetivo e muito particular, pois cada pessoa tem uma visão de vida diferente. Portanto, ao tomar uma decisão verdadeiramente sua, não tema se estiver errado ou certo. Simplesmente siga em frente, até o fim, para verificar os resultados. Pois de outra forma você jamais saberia se estava certo ou não, pois a Estatística não é uma ciência exata, é uma ciência probabilística; quase esotérica, eu diria. Mas isso é papo pra outra hora.

É claro que a liberdade que cada pessoa possui em tomar suas decisões implica na responsabilidade em arcar com as consequencias em praticar essas decisões. Ou seja, liberdade significa responsabilidade. “O que ?! Você esta louco ?!” Não. É isso mesmo. O sentido de responsabilidade, nesse caso, é “comprometimento com a decisão escolhida”. Logo, liberdade e responsabilidade são conceitos completamente ligados.

Hmmm… sinto uma forte influência do Rebelde de Osho nessas minhas linhas. É, realmente gostei do Rebelde. Incrível como às vezes os livros caem como uma luva para a situação em que vivemos. Foi o que aconteceu recentemente.

Estou experimentando a minha verdade, o meu caminho. O que eu quero realmente. E acima de tudo, estou me respeitando como nunca me respeitei antes. Eu sou a pessoa certa, e não há ninguém que precise mais da minha atenção, dos meus cuidados, do meu respeito, do meu amor, do que eu próprio. Por muito tempo pensei nas pessoas, me preocupei com elas, me importei e me restringi por causa delas. Não mais. É hora de uma nova Era. Um novo tempo, uma vida diferente, aspirante, consciente. Consciente das minhas ações, das atitudes e pessoas que me fazem bem ou não, pois o meu objetivo é ser feliz, custe o que custar, e nunca desistirei disso. Nunca !

Você ja se sentiu perdido? Sem saber o que fazer a seguir?
Por exemplo, neste exato momento, estou em casa, sozinho, escrevendo neste notebook velho e lento, com vontade de mijar, com uma incomoda sensação de que tenho coisas importantes pra fazer (e que no momento não estou nem um pouco a fim de fazer!), usando minha camiseta listrada tipo “vertigem” e calça tac-tel, descalço.
Sinto que deveria rever meu compromissos. Ou, talvez, fazer tarefas pertinentes ao meu planejamento para o futuro. Afinal de contas, planos todos temos. Grandes, pequenos, realizáveis ou não. Até fantasiosos. Mas ainda assim, não quero fazer nada para o futuro. Não. Quero ficar aqui digitando esse texto ridículo, pois quero saber o que vão achar dele amanhã.

O que eu quero dizer é como é incrível como lutamos com nós mesmos. Mesmo sabendo o que devo fazer, aquilo que eu preciso fazer para assegurar os meus planos, não quero fazer. Afinal, por que a revolta ? O que há de errado ?
Há algumas hipóteses… a preguiça… a comodidade também… “estou bem agora, porque devo me incomodar em fazer ‘X’ tarefa ?”
Apesar de saber que estou errado, continuo aqui. Aí está outro erro muito comum. Insistir no erro é algo muito comum. Pensando bem, insistimos no erro, porque precisamos de algo que o “erro” nos dá de imediato, embora as causas que fazem com que cometamos o “erro” permaneçam mais profundas em nós.

Por exemplo. Estou com saudade da minha noiva. Tá doendo pra cacete ficar longe assim, mas não há a menor possibilidade de vê-la em breve. OK, penso eu, vou lá comer um chocolate, ou tomar uma lata de cerveja.
Isso me fará esquecer da dor e da saudade. Ou seja, estou “errando” ao comer e beber, e isso esta aliviando temporariamente a tensão, mas não resolverão a verdadeira causa, que é a saudade. Para isso, eu precisaria mandar tudo pra PQP e ir lá na casa dela !! HAHA, eu já fiz isso, é ótimo… experimentem com suas respectivas, eu recomendo.

Em resumo, enquanto não descobrir o que eu preciso fazer pra botar minha vida em ordem, continuarei fazendo as mesmas cagadas de sempre, todos os dias.

Ein? Não precisam me olhar desse jeito. Eu avisei que seria desse jeito aqui. Viagens na maionese, filosofia, etc. tudo incluso, e de graça !!

Arquivos