You are currently browsing the category archive for the ‘polêmica’ category.

Estava conversando com um amigo meu esses dias e tivemos um papo cabeça sobre críticas de filmes, pois estavamos falando do novo Batman – O Cavaleiro das Trevas, e o assunto acabou passando por outros temas. Nas palavras desse meu amigo: “falamos sobre influencias de ideias em uma pessoa e como fazer para manter sua identidade e opiniões”. Profundo, hein? Enfim… achei que era uma boa compartilhar isso com o oceano de fãs que possuo (risos) nesse mundão da InterNerds.

Aí vai:

<Agostinho> critica oficial do cinemaemcena
<Agostinho> http://www.cinemaemcena.com.br/Ficha_filme.aspx?id_critica=7225&id_filme=5077&aba=critica
<Tiago+1> agostinho
<Tiago+1> ce le mta critica, cara
<Agostinho> hehe
<Tiago+1> ce tinha q relaxar com isso um pouco, acho
<Tiago+1> sei la
<Tiago+1> pelo menos eu penso q nada substitui a sua visao
<Tiago+1> ja li criticas metendo o pau em filme q depois q assisti, achei ótimo
<Tiago+1> nao da pra usar como base
<Agostinho> é

Depois de um tempo…

<Tiago+1> pqp
<Tiago+1> q critica ein
<Tiago+1> caralho
<Tiago+1> esse cara sabe dizer as coisas
<Agostinho> foi a maior que eu li desse cara tb
<Tiago+1> ele realmente AMOU o filme
<Tiago+1> em todos os sentidos
<Tiago+1> putz
<Tiago+1> ainda bem q a gente vai no kinoplex
<Tiago+1> heuaheua
<Agostinho> auhauhauhauhauhuha
<Tiago+1> realmente, merece cada centavo
<Agostinho> ué, não era voce quem não se importava com criticas e agora tah falando que ainda bem que vamos no kinoplex so pq leu uma critica boa?
<Agostinho> não entendi,sr Mazza….
<Tiago+1> existe uma diferença
<Tiago+1> entre saber uma opiniao, e tomar essa opiniao pra sio
<Tiago+1> *si
<Tiago+1> e leva-la a serio ou dar peso demais a ela
<Agostinho> sim….
<Tiago+1> é isso q eu kero q vc entenda
<Tiago+1> essa é a minha visao
<Agostinho> mas eu entendo isso
<Tiago+1> pq vc nao kis ver wall-e no cinema ?
<Tiago+1> aposto pq vc leu criticas falando mal
<Agostinho> sei la…pq eu queria ver mais Hulk e Agente 86
<Agostinho> as criticas do Wall-E são boas,cara
<Tiago+1> hmm
<Tiago+1> enfim
<Agostinho> eu sou um cara “de lua” para filmes,isso que voce tem de entender
<Agostinho> por exemplo, Armageddom é um filme que amo de paixão…va ver as criticas sobre esse filme
<Agostinho> mas eu gosto

<Tiago+1> certo
<Tiago+1> q bom
<Tiago+1> eu estava preocupado pq tava achando q vc dava credito demais pra caras metendo o pau em filmes
<Tiago+1> se vc nao da, entao blz
<Tiago+1> e sobre o q vc disse
<Tiago+1> de eu ler a critica e curtir ir ver o filme
<Tiago+1> há criticos E criticos
<Tiago+1> tem criticos q nao tem criterio. Que nao sao imparciais. Que não conseguem por de lado suas proprias emocoes e gostos e razoes pra analizar um filme friamente, do jeito que ele realmente é
<Tiago+1> um critico é quase como um juiz
<Tiago+1> ele tem q ser justo com akilo q ele está falando
<Tiago+1> sobre o q ele esta escrevendo e dizendo
<Tiago+1> e nao é o q se ve por ai
<Tiago+1> a maioria simplesmente se deixa levar
<Tiago+1> se o cara nao gosta do tema do filme, se ele nao gosta de 1 personagem, se ele acha qualquer coisinha ruim, ja mete o pau e regaça co filme.
<Tiago+1> ou o contrario
<Tiago+1> se é do tipo q ele gosta, se tem itens nele q o agradam, entao ele aplaude o filme, apesar de haver erros gritantes ou coisas ridículas.
<Tiago+1> Eu gostei dessa critica pq o cara soube analizar bem o filme, e mesmo ele elogiando muitissimo varios aspectos do filme, ele consegue ver pequenas pontos onde há coisas medianas.
<Tiago+1> É um cara criterioso e bastante imparcial. Claro que não por completo, mesmo pq isso nao é possivel. Sempre colocamos nossa opiniao e emocao naquilo que fazemos. Mas o nivel de imparcialidade que ele consegue chegar é muito bom.
<Tiago+1> enfim, é isso
<Tiago+1> espero q tenha entendido
<Agostinho> eu entendi
<Agostinho> brigadu
<Tiago+1> brigadu ?
<Agostinho> sim, por vossa explicação
<Tiago+1> ah, de nada

Breve pausa para reflexão…

Veremos se essas críticas são realmente justas ou não. Mas tenho certeza de que o filme não decepcionará em nada, não após ver o trabalho feito em Batman Begins, e tudo o que a equipe do filme passou pra fazer esse segundo filme. E só pela atuação de Heath Ledger valerá cada centavo. Não sei ainda, mas tenho a impressão de que será uma das atuações de vilão mais bem caracterizada, complexa e profunda que já vi, só se comparando com Ian McDiarmid como Darth Sidious em Guerra nas Estrelas

É isso. Depois dum papo cabeça desse, só me resta ir ver o filme. Apesar de achar interessante ler uma crítica bem escrita, nada substitui a experiência de assisti-lo.

Anúncios

Sempre entrei muito em contato com a filosofia de diversos autores. Sempre li muitos livros, sempre ouvi conselhos de diversas pessoas acerca dos mais variados assuntos. Mas só absorver e utilizar não basta. Não. É preciso fazer algo mais.

Isso me lembra O Gladiador.

Isso me lembra O Gladiador.

Seguir correntes de pensamento não é algo legal. Pelo menos não sem racionalização pessoal. Eu preciso pensar e decidir se o que estou lendo realmente faz sentido, se devo utilizar isso daqui em diante como sendo uma verdade, se isso realmente será bom para mim, enfim, se trará bons resultados.

Exemplos:

  1. “Não fale com a garota, não ligue pra ela. Agindo assim, ela virá atrás de vc, pq ela vai sentir sua falta.”
  2. “Ligue pra ela, mostre que gosta dela ! Esse é o jeito certo de agir, sempre fazendo o bem.”

Qual conselho seguir ? Nenhum dos dois ? Um pouco de um e um pouco do outro ?

Embora o relacionamento humano seja um dos grandes enigmas do universo, há ainda outros muito debatidos por aí:

  • Houve ou não houve Big Bang ?
  • Há vida extraterrestre ?
  • Jesus existiu ?
  • Há realmente um Deus que a tudo controla ?

Agora, pare. PENSE… e decida. “Pese” bem o que vc já leu, já presenciou, já sentiu, já experimentou. Faça isso com tudo o que você se deparar na vida. Não aceite as coisas de pronto, sem antes pensar bem se faz sentido pra você. Racionalize suas emoções. Emocione sua razão. Nem tudo é o que parece. Nada é simples, mas também, nada é complicado. Ninguém possui todas as respostas, mesmo porque não há como reunir todas as perguntas. Nós nem ao menos sabemos o que perguntar às vezes.

O que quero dizer é que não devemos nos deixar levar por ideologias, por filosofias e racionalizações de outros. Nós podemos e devemos ouvi-las, mas antes de as aceitar como verdade para uso próprio, devemos racionalizar em cima desses pensamentos externos. Somente dai estaremos colocando um pouco de nós mesmos nessas idéias, e estaremos sendo realmente NÓS MESMOS.

Outro ponto importante o qual se deve lembrar é que, assim que você se decide por algo, e tem certeza dessa decisão, não a mude por causa de opinião alheia. Não a mude de jeito nenhum ! Dê valor a si mesmo. Tenha a convicção de estar fazendo o melhor. Não seja volúvel, “maria-vai-com-as-outras”, senão você nunca terá força suficiente para tomar suas próprias decisões e ir até o fim com elas. Não importa se pais ou parentes não gostaram, se amigos vão te encher o saco ou qualquer outra merda desse tipo. Não troque de opinião, pois você é o resultado das suas decisões, e você não tem preço. Como já foi comentado em outro post, é um ser vivo único no Universo, raríssimo e insubstituível.

Sobre a questão do relacionamento; o que importa se vai perder a garota ? Que se dane isso. A vida está aí, explodindo de possibilidades, de mudanças, de pessoas ! Veja o que você realmente quer. Você a quer ? Tem vontade de ir atrás dela ? Vá. Você já está perdendo tempo. O mesmo vale para o contrário. Por que está correndo atrás dela, sendo que ela pouco se importa com você ? Você está se sentindo pior que um cachorro sem dono, ela não te dá valor, não tá nem ai ? Então, cara, cai fora. Ce ta pagando de idiota, ta sofrendo, quer ir embora, mas não quer desistir, não quer encarar a realidade de que ela já era. Não é mais sua.

Aí é que está. Encarar a realidade. Pouquíssimas pessoas tem o peito de fazer isso. De saber o momento de parar, de partir pra outra. Veja bem, não é desistir. É ir até o fim mesmo, ter certeza de que não há mais jeito, e somente daí mudar o caminho. É importante ser decidido, mas é igualmente importante ser flexível.

"Seja como o bambu, que entorta mas não quebra"

"Seja como o bambu, que entorta mas não quebra"

Perceba que “fazer o certo, o correto” depende do ponto de vista, e da situação a ser considerada. Tudo é muito subjetivo e muito particular, pois cada pessoa tem uma visão de vida diferente. Portanto, ao tomar uma decisão verdadeiramente sua, não tema se estiver errado ou certo. Simplesmente siga em frente, até o fim, para verificar os resultados. Pois de outra forma você jamais saberia se estava certo ou não, pois a Estatística não é uma ciência exata, é uma ciência probabilística; quase esotérica, eu diria. Mas isso é papo pra outra hora.

É claro que a liberdade que cada pessoa possui em tomar suas decisões implica na responsabilidade em arcar com as consequencias em praticar essas decisões. Ou seja, liberdade significa responsabilidade. “O que ?! Você esta louco ?!” Não. É isso mesmo. O sentido de responsabilidade, nesse caso, é “comprometimento com a decisão escolhida”. Logo, liberdade e responsabilidade são conceitos completamente ligados.

Hmmm… sinto uma forte influência do Rebelde de Osho nessas minhas linhas. É, realmente gostei do Rebelde. Incrível como às vezes os livros caem como uma luva para a situação em que vivemos. Foi o que aconteceu recentemente.

Estou experimentando a minha verdade, o meu caminho. O que eu quero realmente. E acima de tudo, estou me respeitando como nunca me respeitei antes. Eu sou a pessoa certa, e não há ninguém que precise mais da minha atenção, dos meus cuidados, do meu respeito, do meu amor, do que eu próprio. Por muito tempo pensei nas pessoas, me preocupei com elas, me importei e me restringi por causa delas. Não mais. É hora de uma nova Era. Um novo tempo, uma vida diferente, aspirante, consciente. Consciente das minhas ações, das atitudes e pessoas que me fazem bem ou não, pois o meu objetivo é ser feliz, custe o que custar, e nunca desistirei disso. Nunca !

Muitas pessoas me formulam a mesma pergunta: “Mas é verdade? Tudo isso é verossímil?” E eu me vejo obrigado a repetir a única coisa que sei: que esses documentos e que – ainda que alguns se empenhem em pensar o contrário – eu não possuo tanta imaginação. Desafio quem quer que o deseje a construir uma “Vida de Cristo” tão rica de lógica, audácia e beleza. Não é tão simples “inventar” discursos de Jesus de Nazaré – práticas inéditas e, o que é mais interessante, cheias de sabedoria – ou esses trinta e dois anos chamados de “vida oculta”. “Inventá-los”, claro, com dados, nomes, acontecimentos e circunstâncias coerentes. Em Operação Cavalo de Tróia adeja algo “mágico” e “real”, alheio a mim mesmo. Eu fui simplesmente instrumento. Em suma, e não me cansarei de insistir, é o coração do leitor que deve “sentir” se estas narrações acerca de Jesus são ou não críveis. Que cada um, portanto, no mais íntimo de seu ser, julgue e decida de acordo com os ditames de sua consciência. Essa jamais se equivoca…

J. J. Benitez, na capa de Operação Cavalo de Tróia 3 – Saidan

Grande Benitez, você tem o meu respeito.

Arquivos