You are currently browsing the category archive for the ‘criação’ category.

Estava lendo um artigo sobre cosmologia de plasma recentemente, e apanhei-me num pensamento bastante interessante… resolvi registrá-lo aqui para referência futura. Para quem não sabe, a cosmologia do plasma é basicamente uma nova teoria que explica diversos fenômenos que ocorrem no universo visível com muito mais acuidade e intuitividade do que a cosmologia atualmente aceita. Trata-se de correntes elétricas intergaláticas devido a presença de íons livres no espaço, de magnitudes imensas e facilmente comprováveis em laboratório. Durante a leitura do artigo, peguei-me imaginando as estruturas atomicas e elétricas… e entre diversos pensamentos, foi a isso que cheguei:

O que julgamos sólido na verdade não é. É sólido porque é resistente ao nosso toque, possui formato definido… na verdade ao tocarmos algo, tocamos a nuvem de elétrons formado pelos átomos daquele objeto. Ao encostarmos no objeto, os campos magnéticos se tocam e se repelem, fazendo com que a sua mão não atravesse ou entre dentro do objeto. Isso também ocorre devido à distância em que os átomos de sua mão se encontram entre si, e do objeto em questão, pois os atomos formam uma “malha” de ligações mais ou menos resistentes, e essas ligacões só são quebradas sob certas circunstâncias, como por exemplo por pressão mecânica (facas, agulhas), por passagem de alta corrente elétrica, destruindo a estrutura elétrica dos atomos, ou mesmo submetendo os átomos a alta temperatura (queimaduras)… há outras maneiras de desestabilizar ou enfraquecer as ligacões atômicas, como através do frio congelante, retirando energia das ligacões e deixando-as mais frágeis, ou através de radiação, sendo esta a forma mais extrema.

Mas o que quero deixar registrado aqui é que fundamentalmente nós não somos sólidos. Nós apenas temos a aparência de sermos sólidos por causa da resistência que temos ao toque… mas na verdade somos tão “nebulosos” como as galáxias presentes no céu…

Será que existiriam estruturas no universo, de galáxias ou algo maior, que fossem similares à estrutura molecular dos nossos sólidos ? Seria bastante interessante ver conjuntos desses aglomerados galáticos se “tocarem” mas nunca se “mergulharem” um no outro, por causa da resistência eletromagnética de seus componentes galáticos serem semelhantes…

Não sei se vocês conseguem entender a idéia que estou tentando passar aqui… Estou tentando imaginar se o universo, no fim das contas, não é apenas uma imensa criatura, de tamanho tão inconcebível para nós, da mesma forma que é o elétron para o ser humano, que somente conseguimos ver uma pequena porção de seu imenso corpo ? Ou talvez a estrutura do universo se assemelhe a outra coisa… acho que faz sentido pensar dessa forma, pois considerando que estamos todos interligados através dessa teia de forças e campos, é muito provavél que isso forme uma macro-estrutura… muito embora improvável que consigamos vislumbrar como ela é ou que aparência possui…

Mas voltando ao conceito “não-sólido” da matéria que falei anteriormente. Quando penso nisso, dá uma sensação de que sou tão volátil… é quase uma sensação de não-existência. Como se eu estivesse aqui apenas por um milagre. Eu existir nesse momento É de fato um milagre… não no sentido religioso da palavra, mas digo no sentido que somos criações incríveis. Como bonecos de pano, soldados de argila animados, nós nos movimentamos, andamos, e fazemos de tudo, com essa estrutura molecular aparentemente sólida. Modificamos o ambiente, atuamos sobre tantas outras coisas… e no entanto somos tão frágeis…

Agora o que sinto por mim mesmo é respeito. Respeito isso que sou… pois sou único, e portanto, raríssimo. O ouro é raro, e muito valioso aos olhos dos homens… mas pode ser encontrado… o ouro não se distingue de um para outro. Embora sua qualidade seja medida em quilates, essencialmente suas propriedades não se alteram. Mas essa pessoa que aqui lhes escreve não pode ser achado em lugar algum do UNIVERSO. Todas as pessoas possuem essa qualidade, de serem tão únicas, tão especiais que não se pode achar duas iguais em lugar algum. Cada um tem seus proprios pensamentos, suas emoções e atitudes… seus gostos e hábitos. Sim, respeito é o que sinto por mim mesmo e pelas pessoas que me cercam. Respeito todos, e todas as suas próprias liberdades particulares.

Acho que o homem deveria dar valor às pessoas antes de qualquer outra coisa. Todo o resto é supérfluo e substituível. O homem não é. Logo, não mate o homem. Não o deixe passar fome nem sede. Não o deixe ao relento, na sarjeta, à mercê das intempéries, da solidão e da tristeza. O mundo é feito pelas pessoas, e se não temos o devido cuidado com elas, o que será do mundo ? Nada…

Creio que aí está a raiz de muitos dos males… a falha do homem em enxergar somente a si próprio, de pensar que ter prestígio e poderes para si próprio o fará mais feliz, mais completo e mais perfeito, quando é justamente o oposto. É dando prestígio e poderes para OS OUTROS é que você se torna maior e mais nobre. Imaginemos como as pessoas formando uma imensa “rede”, onde há um fio interligando cada uma. Se as pessoas só pensam em si próprias, elas estão isoladas umas das outras. Cada uma crescerá de acordo com seu esforço pessoal, sua “sorte” na vida, nos relacionamentos e nas oportunidades. Não há transferência nem comunicação alguma de um ponto a outro. No máximo acontece alguma “notificação” de sucesso ou de fracasso pelas partes, nada mais.

Agora, se as pessoas passam a compartilhar oportunidades, se solidarizar, enfim, ajudar as pessoas próximas, passa a ocorrer troca entre os pontos dessa “rede humana”, e os benefícios são distribuídos mais ou menos uniformemente por todas as pessoas da rede, de forma que há mais uniformidade na felicidade e na realização de todos. As pessoas são mais felizes nas suas vidas, e não há tanta frustração ou tristeza por não haver pessoas tão “sobressaídas” na sociedade, eliminando sentimentos negativos como inveja e ciúme… e isso seria apenas o começo, creio que muitos outros problemas seriam abrandados ou até mesmo solucionados com uma iniciativa semelhante a essa.

Essa comunicação e compartilhamento de oportunidades e ajuda ao próximo não é nova. Várias religiões professam essas práticas, que possui o nome milenar de CARIDADE. Não é fácil exercê-la, mas são belos os seus frutos…

Anúncios
Cá estamos para mais um blog nesse universo gigantesco lotado de gente, todas buscando por um pouquinho de atenção.
Após algum tempo visitando regularmente alguns blogs de amigos meus, resolvi criar o meu próprio.

Eu ja estava precisando escrever em algum lugar as coisas que penso para assim poder registrá-las, e para tentar ver a quantidade de pensamentos que se passa nesse meu “telhado” aqui. Quem sabe sai alguma grande idéia ? Ou alguma grande conclusão ?? Ou mesmo uma dor-de-cabeça ? Hah.

Os motivos pra eu iniciar isso aqui são vários. O principal talvez seja o da necessidade de se expressar em alguma forma, de fazer algo diferente e de mostrar às pessoas o meu modo de encarar a vida e as situações, conceitos e crenças que nos permeiam e influenciam.

Ao escrever meus pontos de vista, espero contar com vocês para falarem suas opiniões, críticas, e concordância ou não com relação ao assunto falado.

Agradeço as pessoas que por ventura cheguem a ler e até mesmo a seguir meus posts aqui no blog… assim, haverá testemunhas das doideras e idéias que se passam comigo.

Arquivos