You are currently browsing the category archive for the ‘autobiográfico’ category.

Realmente, nós somos um milagre.

Somos um milagre. Somos tão frágeis, tão diferentes entre si, mas ao mesmo tempo tão iguais. Nós recebemos o presente de estar aqui, agora. De ocuparmos este corpo, que obedece nossos comandos e nos mantém conscientes de si próprios, e do mundo ao redor. Às vezes paro para pensar em como é possível eu poder enxergar o mundo, ouvir os mais diferentes sons… até mesmo abrir e fechar as minhas mãos… como é possível ? Este corpo possibilita tanta coisa. Essa interação com o ambiente, com todas as outras coisas. A experiência de estarmos aqui, agora, realmente é impressionante.

Analise bem a fundo. Veja além do que você sabe, além do que você estudou na escola. Voce é bem mais do que simples estruturas de células, nervos e músculos que se movem seguindo sua ordem, seu pensamento. Agora, penso como desperdiço energia corpórea movimentando-me desnecessariamente, às vezes. Certos movimentos inúteis, bestas, desnecessários. Embora, outros movimentos, muito mais necessários, não executo. Seja por preguiça, por falta de vontade, por “cabeçadurice”. Tantos trejeitos e tantas ações que poderiam ser melhor aproveitadas…

Claro que tudo o que eu faço serve para algo. Serve para eu aprender. Sentir que eu me canso, que certas coisas não são importantes… Por isso que falei essas coisas… não que eu deveria pensar muito antes de fazer tudo, mas que eu deveria pelo menos ter mais respeito com o que eu tenho, com a minha saúde.

É realmente incrível eu poder experimentar tudo isso durante tantos anos de encarnação. Tem momentos que eu me sinto ainda mais vivo, mais energizado, como se faíscas percorressem meu corpo. Quando olho dentro dos olhos da pessoa amada, e toco sua pele… e beijo sua boca. Esses momentos são jóias preciosas para mim, mais do que qualquer outra coisa. Eu olho dentro de seus grandes olhos castanhos brilhantes, aqueles olhos que transmitem calma, amor, e a certeza de carinho e cuidados por muiiiito tempo… sim, olhos tão familiares, em que confio tanto, e que  aquecem minha alma.

Dinheiro, casa, carro ? Em segundo lugar. Vencedora é a dona desse par de olhos que mantém meu coração saltitando no peito quando está perto; paradão e saudosista quando está longe.

Eu disse que nós somos um milagre, pois foi o que senti no começo do texto… mas agora, sinto que ter essa pessoa comigo é um milagre ainda maior. Por isso, obrigado a você, minha amada, por compartilhar comigo sua vida, assim como eu compartilho contigo a minha. Não há maior elo entre duas pessoas distintas do que o nosso, isso eu tenho certeza.

Recomendo a você, caro leitor, que cuide bem da pessoa que ama, pois não há tesouro na Terra que valha mais que isso. E lembre-se de olhar para si mesmo, e sentir como você é especial, como é brilhante, e como esse exato momento é um presente. Agradeça ao Universo por existir e saiba que nada vale as suas lágrimas ou a sua tristeza por muito tempo. Regozije-se, alegre-se, pois é disso que se trata a vida.

Namastê.

Anúncios
É isso ae ! De que vale a vida se não entramos em contato com novos conceitos, com novas formas de pensar e de agir ? Musica, Cinema, Livros… eu sou um cara viciado em Cultura. Querem conversar sobre algo bizarro ou diferente ? Querem contar alguma experiencia incrivel que tiveram ? Este singelo ser vivo aqui se interessa por tudo. Fale com ele, não hesite 😉

É vivendo a vida, de corpo e alma é que se aprende, e que faz valer a Energia despendida para você ter sido criado, pra fazer valer Você estar aqui. Então, nada mais enriquecedor que ler, ouvir, assistir historias, contos, arte, poesia, para expandir sua Realidade, seu Universo, sua Verdade ! Let’s Go !

De Sidarta para Silmarillion

Então, terminei de ler Sidarta de Hermann Hesse. Muito bom o livro, escreverei sobre minhas impressões em breve. Já posso adiantar que o livro possui muitas lições de vida, muito aprendizado para quem gosta de ler livros com Mente e Coração abertos… e a Sabedoria Oriental continua a surpreender.

Comecei a ler O Silmarillion de J.R.R. Tolkien. Para variar, muito bem escrito, muito bem “viajado”, digamos assim… uma variação do Gênese Universal bastante interessante, a do autor. Faz até bastante sentido… e o livro promete informar sobre a origem de tudo, todas as coisas que deram origem à história épica de O Senhor dos Anéis, os anéis de poder, Mordor e o próprio Sauron…

1408

Fumos e vortemos do Cine… como fazia tempo que não assistia a um suspense/terrorzinho… fumos ver 1408. E ao contrário do que eu estava pensando, 1408 não é ano. É número de quarto ! É, é muito engraçado né, eu sei ! Pode rir. 😛

Enfim, foi interessante. O começo do filme não tem nada de aterrorizante, tampouco fantástico ou terrível. Mas com certeza quando a coisa esquenta, aí não pára mais. Gostei do filme, achei muito bem roteirizado e atuado, e tem efeitos especiais na medida certa. Medo? Ora, é claro. Esse era o objetivo. Sentir medo durante o filme, enfrentá-lo, dominá-lo e vencê-lo !! hehe… sim, eu sou doido. Ainda não aprendeu ?

Pretendo em breve escrever sobre essa minha faceta… será interessante. Aliás, tenho muitas coisas ainda para mostrar aqui… então sempre terá bastante material para compartilhar com os leitores daqui.

Mas estou fugindo ao Tema. Então, 1408 é um filme muito bem feito. Só um alerta… você terá um certo receio quando chegar ao seu quarto de noite. Você pensará 2 vezes antes de apagar a luz para dormir… hehehe. Enfim, mais um medo para se vencer. Mais uma vitória ! Pois o filme faz isso com você… te deixa um pouco nóia. Mas é passageiro, assim como todas as coisas na vida…

O Teatro Mágico

Como fazer pra descrever sensações? Essa parece ser a parte mais difícil. Pois bem, tentarei. Ao entrar no local do Show, achei estranho… senti que estava em meio a pessoas diferentes. Não sei explicar ao certo. Enfim, vi que já haviam começado a música. Fui lá, no meio do povão, procurei um lugar para assistir. Acomodados, eu e minha querida começamos a nos sintonizar ao show. Só sei que depois de um tempo, eu já estava acompanhando as musicas, curtindo o som, vendo os malabares e viajando na poesia. E me surpreendi. O Teatro Mágico é um grupo cativante de artistas. As músicas são feitas com muito sentimento, diria até um carinho especial. Tem uma mensagem muito boa, alto astral, reflexiva, positiva. A troca de energia músico-público é muito boa. É uma espetáculo diferente, pois integra muito bem a música, a poesia, o teatro e o circo. Mas estou me limitando a detalhes técnicos, a palavras e descrições. O que importa são as sensações.

Tentarei me lembrar… senti-me feliz por estar ali, contentei-me por sentir aquelas boas vibrações, aquela energia bela a fluir no ambiente, senti um amor gigantesco pela minha querida garota… aquela momento foi muito especial, ali, dançando ao ritmo do som, com ela, e tocando seus cabelos, e relaxando completamente… “Ana e o Mar”, “O anjo mais velho”, “Realejo”… sucessivamente, as musicas foram se seguindo, a alegria contagiante, a integraçao publico-banda aumentando, e ao final parecia explodir. 😀

Ah e as musicas agitadoras de publico ! Aquelas que levantam a poeira, chacoalha tudo e agita a bodega ! HAHA ! “Camarada D’Água”, “Zazulejo”, “Separô”…. muito dahora, eu cantando gritando que nem um doido, batendo palmas com a galera… show mesmo !


É, foi um FDS memorável. Já é uma ótima lembrança. Não vejo a hora de ter outro igual logo =D

Refleti muito se eu deveria ou não relatar o que ocorreu comigo há alguns dias. Pensei, pensei, e optei por compartilhar com as pessoas. Afinal de contas não é todo dia que algo assim ocorre…

Aconteceu semana passada. Estava eu fazendo minha sessão de Yoga lá no Dojo, tudo normal… quando chega o momento da meditação, sento-me o mais ereto possivel e procuro relaxar… ah, se fosse fácil ! Uma dor terrível nas costas surge do nada. Lancinante, parecia que tinham enfiado umas agulhas nas vertebras e estavam puxando pros lados… nao sabia nem distinguir se era dor muscular ou não… sei lá. Só sei que pensei várias vezes em me largar e deitar no chão, estendido, pra esperar a dor passar. Mas não, resolvi aguentar. Tentei esquecer a dor. Continuei ouvindo os conselhos da professora para nós, yogues. “Relaxe… não pense em mais nada. Imagine tudo desaparecendo diante de você. Observe sua respiracao, como o ar vai dos pulmões e sai pelo nariz, para depois tornar a encher os pulmões novamente… desligue os pensamentos, e esqueça de tudo… você simplesmente existe e observa. Tudo passa….”

E continuei ouvindo e aplicando esses pensamentos a mim mesmo… teve um momento que quase desisti da prática, por causa da dor na coluna. Mas, pensei “tenho que continuar… sei que consigo me desligar da dor, e do corpo. Sei que consigo ser maior do que isso… preciso relaxar, e esquecer…” até que, para minha incrível surpresa, a dor DESAPARECEU. Assim, instantaneamente, no momento em que “desliguei”, digamos assim, dela. Aí, senti uma paz enorme. Senti-me feliz, e completo, como se tudo sempre estivera bem, como se tudo estivesse como deveria estar. Minhas preocupacoes desapareceram momentaneamente. Aí compreendi como tudo é passageiro, e como temos controle sobre nós mesmos. Fiquei contente por estar ali, naquele momento, aprendendo um pouco mais sobre mim e sobre a Natureza das coisas.

Agradeci a professora pela inspiracao, e contei a ela o ocorrido. Ela disse: “as pessoas geralmente se concentram muito na dor, se concentram tanto que elas próprias passam a ser a dor. A dor e o sofrimento as domina, e dificulta a visão delas. Você se desprendeu da dor hoje, e fico contente por isso”.

Fiquei muito surpreendido com esse rápido alívio de dor, pois tenho escoliose lombar há muitos anos, e minha coluna sempre dói de tempos em tempos, e é uma dor que demora a passar. Geralmente tenho que fazer exercicios, ou pedir para alguém me ajudar a colocá-la no lugar, pois de outro modo a dor não passa. E isso ocorreu sem nenhuma intervenção física minha, da professora ou de ninguém da sala. Simplesmente aconteceu.

Ela também me explicou o que aconteceu que fez com que passasse a dor… de acordo com a tradição hindu, ao meditar a pessoa abre os canais de energia que temos no corpo, pois relaxamos o corpo e os pensamentos, e um “jorro” de luz cai em nossa cabeça e se espalha pelo corpo, através desses canais, limpando, purificando e energizando as diversas partes do corpo.

Foi a primeira vez que algo desse tipo ocorre comigo, e foi indescritível. Ainda tenho muito o que aprender e evoluir, mas esse primeiro passo só me fez empolgar e me dar força para seguir em frente !

Aniversario ! Que dia feliz. Mais um ano de vida se passa para este pobre ser humano que aqui lhes escreve. Pobre ser humano, sim, pois após uma certa idade você passa a encarar seu próprio aniversário de forma diferente. Dependendo do ponto de vista, pode ser um dia ótimo, ou um dia ruim. Para mim, pelo menos, é um dia de reflexão. É claro que sendo como sou, todo dia é dia de reflexão, mas ao se aproximar do meu aniversário, esse comportamento se intensifica.

Winner: Bolo de Chocolate

Se alguém olhasse para os meus pensamentos hoje, veria-os divididos em Brancos e Negros (profundamente inspirados nos Light e Dark Side por George Lucas®)

Branco (positivo): mais um ano de vida que se passa, grandes e bons feitos ocorreram… torno-me mais sábio a cada ano que passa (em teoria =P), aprendo mais coisas e tenho mais experiência. A vida avança, meu circulo de amizades aumenta, agradeço a Deus por tudo o que tenho e pela minha saúde. Muitas pessoas me ligam, muitos parabénses e felizes aniversárioses recebo (viva os neologismos!), é muito legal. Todos parecem felizes e parecem querer que eu me sinta feliz também.

Negro (negativo): menos um ano de vida, nao fiz tudo o que queria ou que deveria ter feito… vários planos não chegaram a ser feitos e tampouco começados ! Várias coisas que tive vontade de fazer mas que não fiz se acumulam na mente. As perspectivas para o que quero são difíceis, o futuro é incerto e não sei bem o que fazer para atingir meus objetivos. Uma breve crise existencial parece surgir, uma leve deprê desponta na consciencia, e tenho a sensação de ouvir uma voz dizendo para mim:

Cara, é melhor você fazer logo o que você quer, porque a vida tá passando e a morte chega, cedo ou tarde, falou mano ?! Se liga nessa então, senão você morre mais cedo que pensa e fica se arrependendo depois aê, manjou ? Beleza, fica aí o aviso…

Também começo a pensar o que fiz da vida até o momento, e o que fiz de certo/errado. Nota pessoal: nunca mais pensar no que se fez de errado, pois geralmente o peso na consciencia é mil vezes pior do que as coisas corretas que você fez. Ah sim, todos te parabenizam nesse dia, pois é obrigação deles fazerem isso. Claro que há os sinceros de coração, mas sempre haverá os interesseiros, ou aquelas pessoas que fazem por pura convenção, ou por obrigação, ou por qualquer outro motivo que não o de amizade verdadeira e real vontade de te parabenizar.

Vai uma fatia de bolo ai ?

Enfim, dia de aniversário é legal, sim. Você ganha presentes, olha só ! Pode renovar algumas peças de roupa do seu armário. Além disso, fala com um monte de gente que você não falava há 1 ano !! Maravilha. E também você pode encher a pança de bolo e refrigerante. Isso não há o que discordar, é bom d+. É um dia que serve para você curtir a reação das pessoas, seus comportamentos, se sentir lisonjeado com tantos cumprimentos, e sentir-se mais velho, mais experiente e mais querido pelas pessoas próximas a você, mesmo que temporariamente. Hah.

Já faz um tempo que costumo ler e aprender sobre as diversas religiões que existem por aí nesse mundo afora. É uma jornada interessante, sim, pois há coisas em que os povos acreditam que eu jamais conseguiria conceber em minha humilde mente, sem que não tivesse lido ou visto.

Esse interesse pelo desconhecido é o que tem dirigido grande parte da minha leitura ao longo de vários anos. Creio que o começo se deu há alguns anos… mais ou menos há 7 anos atrás. Aos poucos acabei virando uma autêntica traça de livros. Paradoxalmente, antes eu não podia nem ouvir a palavra “ler”. Odiava ter que ler, pois achava algo totalmente maçante e chato, e achava que isso era coisa de cientistas, intelectuais, escritores, etc.

Tudo começou bem cedo. Desde pequeno havia coisas com a qual nao conseguia compreender, e era absolutamente curioso e indagador. Fazia todo tipo de perguntas a meus pais, os quais as vezes não sabiam o que responder, ou davam aquelas respostas típicas para contentarem seu filho a curto prazo, mas que não seria explicação suficiente para a dúvida em questão.

Frequentava a igreja de meus pais, desde tenros 7 anos de idade. Apreciava a Congregação Cristã no Brasil, por sua linguagem simples, sua busca pela caminho da bondade. A doutrina era bastante rígida, pois acreditam no “bom testemunho”, que todo bom adepto deve ter. Seguindo os ensinamentos descritos na Bíblia, lêem a Palavra de Deus durante os cultos, e cantam hinos. Os cultos traziam-me força para viver e muita fé na vida e em Deus. Era muito tranquilizador. Apesar disso, as dúvidas continuavam circundando minha mente, meu coração. As respostas eram dogmáticas e sem racionalização, ou seja, sem significado para mim. Algo como “é assim porque é assim”. Aos poucos, fui ficando cada vez mais descontente. Dentro de mim, incomodava-me a sensação de não seguir a religião de meus pais como deveria, pois não concordava com o que diziam por mais que tentasse.

Procurei respostas em qualquer lugar que pudesse encontrar. Eu sabia que havia “algo” além deste corpo aqui, algo muito mais profundo e conectivo, algo que me dava vida e que me animava, mas não sabia explicar “como” nem “o que” era. Indagava-me: onde está o espírito ? O que é o espírito, afinal de contas ? Qual o objetivo da vida, o propósito que nos move ? O que deveria fazer para ter paz ? Porque os bons são presenteados com a Vida Eterna ao lado de Deus, e maus sao condenados ao Inferno Eterno ? Será possível ?

Todas essas perguntas e muitas outras me perturbavam. Passei a procurar por livros, filosofias ou qualquer coisa que me explicasse, que me desse alguma definição mais precisa e racional, algo mais plausível. Nessa época, há 7 anos atrás, encontrei uns livros do Paulo Coelho lá em casa, e o que me chamou a atenção foram os títulos. “Diário de um Mago” foi o primeiro que li, para logo em seguida ler o incrível “O Alquimista”. Grandes ensinamentos, mensagens que nos conduzem a buscar os nossos sonhos custem o que custar, a entender os “sinais” que o universo nos mostra e a compreender a “alma do mundo”. Frases como

“Quando você quer alguma coisa, todo o Universo conspira para que você realize seu desejo.”
“O bom combate é aquele que é travado em nome de nossos sonhos.”

Essas são apenas algumas das várias lições que estão descritas nos livros. Parecia fazer muito sentido, e passei a procurar praticar o que havia lido no dia-a-dia. Realmente, às vezes a vida nos surpreende de maneira fantástica. Tudo passou a melhorar. Eu era o aventureiro na minha vida, eu a dirigia, e trilhava meu Caminho segundo o que acredito ser meu objetivo e minha verdade. Passei a ter muito mais força, coragem e determinação.

Após essa experiência, passei a ler uns livros bem velhos que tinha lá em casa, jogados no sótão. Eram de um lama tibetano, chamado T. Lobsang Rampa. A história começava em “A Terceira Visão”, e seguia em vários livros. Contava a sua vida no Tibete, desde a sua infância até o momento “presente” (o momento em que ele escreveu o livro), os costumes, a religião, e todas as personalidades e ensinamentos que ele entrou em contato na sua terra natal.

Needless to say, foi um dos melhores livros que já li na minha vida. A cultura tibetana e sua religião, uma vertente do budismo, o lamaísmo, são muito interessantes. Foi meu primeiro contato com os conceitos de aura, chakras, viagem astral, terceiro olho, e outros conceitos do ocultismo. Sentia que estava me adiantando no meu Caminho, pois encontrei respostas para a maioria das minhas inquietudes, que permaneciam comigo há tanto tempo. Agradeço todos os dias à Providência por ter proporcionado essa porção de Sabedoria à minha vida, pois me trouxe muita paz, serenidade, e Iluminação. Gostaria que mais pessoas pudessem ter essa experiência que tive, pois é uma sensação indescritível. De repente, tudo parece fazer sentido. Palavras não bastam para descrever o que aconteceu no momento. Basta dizer que aquele foi um marco na minha vida, o qual nunca mais esquecerei, pois mudei profundamente. A minha visão havia se aberto mais para poder trilhar meu Caminho.

Continuei lendo a obra de Lobsang Rampa. Ele havia publicado muitos livros, somando um total de 20 durante o período de 1956 a 1980. Este autor sofreu muita perseguição durante seu tempo em vida, devido ao teor de suas obras, dos seus feitos e da sua história que muito surpreendem o típico homem ocidental. Não obstante, creio profundamente nas suas palavras e na sua vida.

Continuei minha “aventura literária”, desta vez lendo sobre yoga. O livro chama-se Autoperfeição com Hatha Yoga, do prof. Hermógenes. Escritor, professor e divulgador brasileiro da Hatha yoga, possui ampla experiência na prática dessa modalidade de yoga, de seus benefícios à saúde física, mental e psíquica no ser humano. Lendo o livro, foi como fazer uma revisão dos livros de Lobsang Rampa: o yoga tem origem indiana e, como tal, baseia-se também na crença da aura, dos chakras, e do prana (ou fluido universal). Passei a praticar os exercícios de respiração e as posturas em casa, e verificando seus efeitos. Redescobri meus limites físicos e psíquicos. Mais uma vez, um novo mundo se apresentava à minha frente, novas possibilidades…

Também li outros livros de outros autores, como por exemplo Erich von Däniken, autor muito contestado pela imprensa, que publicou “Eram os Deuses Astronautas?”, entre outros best sellers. Mais recentemente li “Mãos de Luz” de Barbara Ann Brennan, especialista em Física atmosférica pela Universidade de Wisconsin e foi Cientista Pesquisadora da NASA em Goddard Space Flight Center nos anos de 1960. Ela é curadora espiritual, fez vários cursos nos Estados Unidos sobre Energética do Núcleo em New York City em 1978 e é fundadora da “Barbara Brennan School of Healing”, localizada no Sul da Flórida, e também uma outra escola localizada na Europa. Já ajudou milhares de pessoas com suas técnicas curativas, auxiliando-as fisica e emocionalmente a lidar com seus problemas.

Muito bem, acho que desviei um pouco da narrativa. Enfim, após ter lido vários dos livros do Lobsang Rampa, eu passei a ver os cultos na Congregação Cristã com outros olhos. Havia forças muito poderosas em ação durante o culto, forças muito boas. Compreendi o que antes era incompreensível, pois agora tinha o conhecimento. Mas nunca mais me ajustaria ao modo de vivenciar a igreja, e a religião em si. Muito bem, passei a procurar um “lugar” para mim. Pois apesar de ler os livros e contentar-me por si só, sentia falta do contato com as pessoas que pensam semelhantemente a mim. Queria ter o apoio de uma comunidade espiritual. Então, um grande amigo meu me mostrou o Espiritismo. A princípio, fiquei muito preocupado com o que iria “ver” em uma sessão espírita. Mas não. Como havia lido antes:

“A única coisa que se deve ter medo é o próprio medo. A pessoa só sente medo daquilo que não conhece ou entende. O medo é a atuação da imaginação sobre a razão, e se a pessoa meditar sobre o objeto do medo, passará a não ter medo mais, por saber ser um sentimento infundado e sem motivos.”

A verdade é que me senti muito bem, e me senti em Casa, de tal forma como não me senti há muito tempo… senti bem acolhido e reconfortado, e compreendido por pessoas que pensam como eu, e que pensam no bem do próximo e no bem de todos.

Passei a estudar mais e mais o Espiritismo, e também a entender melhor os ensinamentos de Cristo. Sim, pois o Espiritismo é uma religião Cristã, e sendo um de seus preceitos o de ensinar a boa moral aos homens, re-ensina e desmascara a sublime moral de Cristo, tirando o véu de dúvidas e metáforas que foram necessárias na sua época. Pois na época de Cristo havia muitas dificuldades de transmitir aos homens uma forma de vida sem entrar em choque com o que o povo pensava na época, e por essa causa abriu mão de uma linguagem clara para fazer com que seus ensinamentos entrassem nos coraçoes e mentes dos homens.

De uns tempos para cá, tenho variado bem minha leitura… como podem ver:
O Senhor dos Anéis
O Código da Vinci
O Hobbit
Harry Potter
Operação Cavalo de Tróia

É incrível o que uma simples iniciativa de ler um livro faz. Um empurrão, uma empolgação, e quando você menos notar, você já está chegando ao final. Ao final, próximo à compreensão, à conclusão de uma incrível história, você sabe que o que aprendeu ficará com você para sempre, e te alterará para expandir sua percepção do mundo e da vida.

Arquivos